19/03/2009

Aprendendo a ser imune

Se conselho fosse bom, ninguém dava. Vendia! Se fosse bom você iria olhar para os dois lados da rua antes de atravessar. Não ia tirar o guarda-chuva do carro. Levaria o casaco para não pegar friagem e não falaria com estranhos. Mas no entanto não é isso que você faz, né? Então por que cargas d’águas você se acha capacitado para dar pitacos na vida das pessoas?

Alguém pode me explicar? Alguém pode me explicar por que aquela pessoa que você sabe que já foi infiel, levanta a bandeira da fidelidade? Por que devo confiar numa instrutora de educação física gordinha?

Me explica por que as pessoas tem solução pra tudo na nossa vida? Isso ta certo! Você ta fazendo errado! Não faça isso! Faça de tal jeito! Alguém pediu? Acho que não. Só que a gente sabe que é um vício que as pessoas têm. Inclusive, também o praticamos. Parece que temos a fórmula mágica pra vida dos outros, porque sempre sabemos o que dizer exatamente o que fazer, mas nunca fazemos nada direito! Ou seja. Faça o que eu digo, não faça o que eu faço? Falando assim até é fácil.

Eu tenho plena consciência que meto os pés pelas mãos em maioria das circunstancias. Mas eu juro que eu tento melhorar (apesar de não estar funcionando ainda). Sei que a gente só aprende dando cabeçada. Se fosse mais simples, eu poderia muito bem apenas ouvir os conselhos da minha mãe ou da minha avó (que são pessoas que eu realmente confio) e viver feliz pra sempre. Sem decepção, sem quebrar a cara, sem sofrer, sem levar pé na bunda. Só que eu prefiro dar a cara a tapa e aprender alguma coisa que não aprenderia se tivesse feito tudo certinho. Pois assim crio anticorpos e fico imune a cagadas da vida.

Aliás, essa coisa de certinhademais me dá ânsia.
Como diz uma amiga: “É muito Pollyanna pro meu gosto”.

Que graça tem alguém que prende o dedo na porta do carro e não solta palavrão? Que graça tem comer ovo da páscoa só no domingo? Que graça tem não ter ciúmes? Trabalho x casa x trabalho. Não tem graça nenhuma!

Se eu soubesse como seria tudo o que quero fazer, não teria graça. Nem Sônia Abrão ou pra Márcia Goldsmith iam ser felizes com seus programas de conselhos. Não haveria dor nem poesia. Não teria inspirações para as musicas do Victor e Léo. Se todo mundo tivesse a solução para nossos problemas sem nós ao menos cogitarmos a idéia de querer um conselho o mundo não teria graça!.

Então por isso só peço uma coisa:
Não me dê conselho. Não palpite na minha vida.
Deixe que eu caia, levante e comece de novo se precisar. Mas deixe.

Quero que seja do meu jeito..
Sendo do jeito errado ou não, mas que seja.
Assim meu plano de ser imune dará certo!
E quem sabe até eu fique especialista e venda meus conselhos.

7 comentários:

Rogério disse...

Acordei com o mesmo pensamento!
Como é dificil que entedam isso!










Me oferte o silêncio da sua companhia, não tente me animar, não ria das minhas bobagens e nem me venha com auto piedade de power point! Guarde sua opinião unica e exclusivamente pra si mesmo, quando precisar de algo eu grito.

~liana onfire disse...

ai, desculpa :(

Renato disse...

excelente texto!

Welton Nogueira disse...

realmente, vc tem razão.
se as pessoas não perdessem tempo prestando atenção na vida alheia, não fariam tanta besteira em sua própria vida.
bjão.

Karlinha disse...

Ótimo texto amiga!

e tá linda de viver na foto!

bj

andre disse...

po, agora fiquei chateado. ninguem dá mais conselho pra vc do que EU!!! e agora, q faço da vida? q faço com os milhares de conselhos q tenho guardados comigo??? puxa...

Alexandre disse...

Perfeito !